Grupo de pessoas organiza protesto em frente ao Pronto-Socorro de Ananindeua

Após a inauguração do primeiro pronto-socorro de Ananindeua, o prefeito Dr. Daniel (PSB) acusou membros do governo estadual e Luiz Sefer de tentarem fechar o prédio.

Pronto-Socorro de Ananindeua
O protesto está programado para às 8h desta segunda-feira (7).

Um grupo de pessoas organizou um protesto nesta segunda-feira (8), às 8h, em frente ao Pronto-Socorro de Ananindeua, o antigo Hospital Camilo Salgado, que pertence ao ex-deputado Luiz Sefer, condenado por abusar sexualmente de uma criança de nove anos e aliado próximo do governador Helder Barbalho (MDB). O motivo do protesto, segundo informações obtidas pelo Estado do Pará Online, é a tentativa de fechamento do hospital por Sefer.

Após a inauguração do primeiro pronto-socorro de Ananindeua, o prefeito Dr. Daniel (PSB) acusou membros do governo estadual e Luiz Sefer de tentarem fechar o prédio. O hospital foi desapropriado por R$ 14 milhões, dos quais R$ 12 milhões já foram pagos. O valor restante de R$ 2 milhões deve ser quitado até o final do mês, mas Sefer entrou na justiça pedindo o fechamento do hospital.

A Justiça determinou que o antigo Hospital Camilo Salgado deve ser devolvido ou que a inauguração do Hospital Municipal, em construção no imóvel, seja suspensa até que a dívida pendente seja quitada. Os antigos proprietários querem anular o acordo de transferência do imóvel expropriado devido ao não pagamento completo da dívida pelo município. O hospital solicita que a decisão inicial mantenha os valores pagos como indenização.

O prefeito Dr. Daniel informou que a Prefeitura de Ananindeua recorreu à Justiça do Estado para reverter a situação, classificando a ação do ex-deputado como perseguição política.

Leia também: